Coach UNOi participa do Educação na Veia

CoachUNOi DiaDosProfessores EducaçãoNaVeia 23 de outubro de 2017

FACEBOOK TWITTER

Se o entendimento é o objetivo, o que devemos ensinar? Ou seja, quais são as coisas mais importantes para os alunos entenderem?

Como podemos desenhar experiências de aprendizagem que ajudem os estudantes a aprenderem para a compreensão? Como podemos criar uma comunidade profissional em linha reflexiva, que suporte nossa compreensão de como ensinar e aprender a entender?

De nossa própria experiência além da teoria, como entendemos que os professores devem decidir o que ensinar aos nossos alunos? Qual é esta aprendizagem verdadeiramente significativa e transferível?

Começo meu texto com perguntas. E perguntas sem respostas, o que faz delas de fato perguntas, de acordo com a origem grega do termo.

Como educadora, vivo em eterno questionamento. E no último dia 15 de outubro, comemorei o nosso Dia dos Professores me questionando e sendo questionada junto a outros colegas no programa Educação na Veia, uma produção de Rafael Parente, em pareceria com o Porvir e o canal Futura.

Lá, nós, educadores, nos perguntamos sobre o real sentido desta profissão. Não é sacerdócio. É ofício. Inovar não é sonho, é meta. Urge refletirmos sobre nossas práticas, se queremos realmente mudar.

Nós, educadores contemporâneos – me recuso a me rotular futuristicamente como educadora do século XXI, pois o mesmo já acontece – ainda estamos em dívida com nossos alunos: é nebuloso nosso propósito de docentes. Sabemos o que não queremos: vencer conteúdos, criar robôs em série, ou apenas um portador de diploma/boletim de notas. Mas o que estamos fazendo para ir além?

Como o aluno percebe o que produzimos? Será que ele percebe? A chance de transformar o que acho que sei com meus pares foi o melhor presente do dia dos professores dos últimos anos.

Sigamos, sentindo, por um mundo com mais sentido.

Raquel Oliveira

Raquel Oliveira

Raquel da Silva de Oliveira trabalha em Educação há mais de duas décadas. É uma curiosa nata e apaixonada por ser uma carpinteira de ideias neste planeta azul.

Posts Relacionados

Colégio Jardim Anália Franco no Jornal da Cultura

Matemática, Geografia e outras matérias tradicionais cederam um pouco do seu espaço para aprendizados como empat

2 semanas

Sustentabilidade à beira-mar

“Bons hábitos salvam o mundo”. Foi esse o nome que o Centro Educacional Serra e Mar, de Rio das Ostras (RJ) de

CESEM EuTenhoAtitudeSustentável RedeUNOi

2 meses

O mundo em que seus filhos viverão

No mundo em que seus filhos viverão a inteligência artificial estará em tudo, em todos, o tempo inteiro. E reali

Geraçãoi Institucional UNOieducação

3 meses

Comentários